quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Tu não percebes nada da adolescência, Joana.

Uma mãe desabafa comigo e diz-me que a filha é muito atinadinha, que já "só" teve três namorados e que não gosta de drogas, nem tabaco (e até acha estranho, porque os dois pais são fumadores - devia era agradecer aos céus, digo eu!) e a "única" coisa que lhe pede é para ir para a noite, ficar até às 4h e beber, por noite, duas bebidas alcoólicas. "Só" isto.

- É o normal da idade. - diz a mãe.
- Bem, normal, normal não será... A adolescência é complicada... - digo eu, enquanto pela minha cabeça passam várias imagens da minha adolescência e de uma coisa chamada "limites".
- É complicada, é. Ainda outro dia fomos à discoteca com ela (já não é a primeira vez que ouço isto e soa-me a um disparate tremendo), estivemos com ela até às 4h da manhã (bom para dar o exemplo do que não querem que ela faça) e deixamos-lhe beber duas vodkas à nossa frente (sem comentários). Estivemos lá com ela, ela começou a cambalear... olhe, foi uma risota... e os rapazes a irem todos ter com ela a tentar "tirar um bife"? Só paravam porque nos viam lá e lhe perguntavam se nós éramos os pais dela. Assim ela aprendeu.
(Aprendeu o quê? - pensava eu - Aprendeu que tem montes de rapazes à volta dela se ela beber álcool? Aprendeu que os pais são uns "corta-mocas"? Aprendeu que é totalmente normal ficar até às 4h da manhã na discoteca?)
Fiquei sem saber que dizer e apenas me saiu isto:
- Que idade tem ela?
- Tem 14, mas em abril já faz 15.

Ah, em abril já faz 15, minha gente!

Enfim.
Nada mais a dizer.
O mal não está mesmo na geração futura; está na geração presente.

4 comentários:

carina bradshaw disse...

Loooool tive que me rir! Que raio de conversa dessa mãe! Os meus pais nunca foram comigo para a discoteca, a primeira vez que entrei numa foi aos 18 anos quando fui para a universidade e foi porque participei num desfile! E no entanto os meus pais nunca me proibiram de nada...diziam para ter juízo e só! E foi o que eu fiz... não bebo álcool até hoje e nunca fumei! Também vai de cada um mas eles deixarem fazer isso à frente deles porque é que quando está longe não há-de ser pior? --' ah e que adulta...tem 14 e faz 15 em Abril! --'



http://carinasaysbradhsaw.blogspot.com

Joana disse...

Carina bradshaw, antes de mais... obrigada pela tua visita e comentário! :) Pois, há uma diferença entre sermos ajuizados (e não tem a ver com genética, tem a ver com educação) e sermos obrigados a ganhar juízo. Mas quando o exemplo falha, o que se poderá esperar? E tens toda a razão, que adulta, hein? (Desconfio que nem os pais são adultos...)

Um beijinho, bom fim de semana e obrigada pela visita! Espero que passes por cá mais vezes! ;)

JAY disse...

Só não percebi uma coisa... Se estavam os 3 na discoteca quem terá ficado em casa a tomar conta do neto... ou terá ido também?!

Joana disse...


JAY,

Pelas minhas contas já daria para ter bisnetos... não me surpreenderia!... :D