segunda-feira, 29 de abril de 2013

Quem diz que o dinheiro não traz felicidade, é um ovo podre.

Traz, sim, e não vale a pena negar. Não é um factor essencial para se ser feliz, mas que ajuda muito à coisa, ajuda. Só quem é falso moralista é que dirá o contrário. Há alguém que goste de se preocupar se pode fazer este ou aquele pequeno investimento sem comprometer o orçamento familiar, por exemplo? Há alguém que goste de se ver privado dos pequenos prazeres da vida (e refiro-me a encontros com amigos, passeios, etc.) por falta de dinheiro? Há alguém que goste de desistir dos seus sonhos à conta de não ganhar o que merece? Há alguém que não goste de adquirir um pequeno (mesmo que fútil) mimo que o faça feliz e o recompense pelos seus esforços? Não me parece.

Se o dinheiro pode trazer problemas? Pode, claro. Mas isso também depende da forma como se gere esse mesmo dinheiro. Essa teoria do pobre e roto, mas feliz não me convence. Ninguém é verdadeiramente feliz sem a certeza de uma - mesmo que mínima - segurança financeira. Seja para os pequenos prazeres, seja para as grandes necessidades. O resto é treta.


4 comentários:

Luísa disse...

subscrevo tudo o que disseste.
Tal como dizes, não é um factor essencial, mas ajuda muito.

Tania disse...

Cada vez mais partilho essa opinião... Se o dinheiro não traz felicidade, pelo menos manda embora as nossas preocupações - que já é meio caminho para a felicidade, não? :)

W disse...

Já dizia o outro... o dinheiro não é felicidade mas que ajuda ajuda.

Claro que quando falamos de ter dinheiro não é a bandeiras despregadas como o top10 da Forbes.

Na minha opinião, ganhar acima de 1500/2000€ por mes já me trazia muita felicidade :)

Joana disse...

Ora, se não! :)