segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Cheiro que detesto.

O cheiro do tabaco entranhado na roupa. Aquele cheiro que se agarra aos casacos de pele e praticamente à pele dos fumadores. Aquele cheiro que fica no ar duas horas depois de essas pessoas terem saído. Aquele cheiro que nos fica nas mãos, no cabelo, na cara, sem termos tocado em qualquer pessoa. Detesto e acho até nojento. Não dá um milímetro que seja de hipótese à minha cabeça de pensar que aquela pessoa é limpa, o que me coloca ali um entrave daqueles, desde logo.

 

Hoje passei por uma dessas. (Comerciais em empresas deveriam ter outro cuidado, não?) Muito mau. Ainda vamos a meio da segunda feira e já estou nauseada. E o pior é que, com este tempo, nem posso abrir portas e arejar as coisas. Muito mau este efeito de estufa com travo a la cigarrette.


(Dei um passou-bem a este comercial, já lavei as mãos 4 vezes e sinto aquele cheiro entranhado em todo o lado. E estou sozinha, noutro local diferente do do "ataque". Quem me dera que os meus perfumes conseguissem metade do que este cheiro consegue, sinceramente.)

2 comentários:

Maria Varredora Pau de Vassoura disse...

Também não gosto nada!!!
:))))))))))))

Anónimo disse...

Esse cheiro a cinzeiro tb me dá náuseas... Pior, quando temos 1 colega que fuma dentro do carro da empresa(e aquele maravilhoso cheiro fica entranhado nos estofos, etc) e de seguida temos que utilizar o mesmo carro!! Sim, sou eu a croma que mesmo em plena tempestade anda com os vidros abertos de forma a fazer corrente de ar! Haja paciência!
Ângela