segunda-feira, 6 de outubro de 2014

A sério, pessoal que me envia currículos!

Se querem perder tempo comigo quando enviam um currículo é só:


- escrever uma coisa às três pancadas, em que nada faz sentido, as frases estão todas descoordenadas, os conectores erradamente escolhidos e os verbos mal conjugados;

- não verificar a ortografia e os acentos e apresentar um texto cheio de erros (e olhem que eu dou o "desconto" das gralhas);

- reenviarem-me um email sem retirarem o FW e, pior, anexarem uma carta de apresentação dirigida a outra instituição e/ou pessoa que não à minha/a mim.






Se querem perder tempo e dar-me temas para escrever no blogue, estão à vontade. É só seguir as dicas.


4 comentários:

Maria Varredora Pau de Vassoura disse...

Realmente, é tudo as 3 pancadas! Aqui na casa das fazendas, Temos um modelo para as pessoas se inscreverem para trabalhar. E fica tão mal, quando nos pedem para ajuda-las a escrever o básico. Se és "mandrião/mandriona" para fazer isto... que impressão dás para fazeres o resto?

:)

Anónimo disse...

Os currículos que lhe enviam têm o mesmo nível que os baixos salários que pretende pagar.

Joana disse...

Maria,

não me surpreende, infelizmente... chamemos-lhe "fase diagnóstica" - é bom para primeiro crivo... :)



Anónimo,

O seu comentário soa-me a frustração. Compreendo que possa estar numa má fase ou possa fazer parte deste núcleo de pessoas, mas talvez não seja a melhor ideia do mundo descarregar essas privações em quem não conhece e teça comentários sem qualquer conhecimento de causa. Não assuma coisas se não sabe do que está a falar. E, que eu saiba, um mau profissional (ou candidato a isso) não se transforma, ao toque das doze badaladas, num bom profissional, apenas porque lhe pagam melhor. Se assim é, tem muito pouco valor - e muito pouco de profissional. Pena que o seu argumento seja o dinheiro. E a acusação seja tão desprovida de valor. O seu comentário demonstra exatamente quem é. Isso deve bastar-lhe; a mim basta-me certamente.



JAY disse...

Ui, parece que a carapuça serviu a alguém...

Ora bem, existem dois tipos de pessoas:

- as que procuram trabalho (e não emprego...), que têm gosto pelo que fazem, mesmo que às vezes o que recebam não seja muito mas, acaba por fazer sempre alguma diferença...;

- e as pessoas com o "Anónimo" que, às vezes até residem mesmo ao lado da entidade empregadora mas, ao pensar que irão receber um salário à catedrático, preferem dizer que é pouco e que nem chega para os gastos... Coitados, como hão de conseguir pagar as despesas fundamentais, tais como a TV Cabo e a Net?! Depois têm que despender tempo na esplanada, para poder enviar um desses currículos através do seu iPhone e, enquanto fazem isso, ter que fumar um ou outro cigarrinho porque o tráfego por WiFi está lento... Talvez compense mais ficar a receber um ou outro subsídio...

Portanto, só para concluir, acho que o "Anónimo" se enganou e queria dizer assim:

"Os currículos que lhe enviam têm o mesmo nível que os candidatos que lhos estão a enviar: baixo"