segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

O Chocolate.

Nunca fui muito fã de chocolate. Gostava de o comer quando aparecia meio dissimulado num bolo, num gelado, num qualquer doce, mas nunca fui pessoa de, por exemplo, comer um gelado inteiramente de chocolate ou um bolo que não tivesse um recheio diferente, que "quebrasse" o sabor do ingrediente principal. Mas agora que a minha médica me disse que deveria evitar o chocolate, é quando mais me apetece comê-lo! Estou a entrar num mundo que me pode ser muito perigoso, não por questões estéticas (fica a informação: eu não engordo. E não vale a pena virem com o discurso do "Um dia, lá chegarás" ou "Deixa-te engravidar e vais ver", que isso aqui não pega; já ouço isso há muitos anos e... nada.), mas por uma quebra naquela que considerava uma das minhas grandes façanhas: resistir a tudo o que quisesse resistir. Eu tenho evitado a tentação, a sério que sim. Mas não está fácil. Dou por mim a olhar para os Ferrero Rocher todos que recebi no Natal, sabendo que não lhes vou tocar tão cedo ou a pesquisar receitas de mousses e de bolos com chocolate, sabendo de antemão que não os vou preparar - não porque não queira, mas sim porque não devo. Acho que é uma espécie de compensação: não podendo degustar, entretenho-me a olhar. Mas  não deixa de ser um bocadinho perversa: as imagens daqueles doces, daquelas cores, daquelas consistências ficam aqui gravadas a moer no cérebro e não me largam. Se calhar, devia parar com este masoquismo chocolateiro. Mas antes vou ter de dar uma sovada a esta tentação. Ai vou, vou. 

Verde ou Vermelho?
(Eu cá diria verde.)

1 comentário:

D disse...

O fruto proíbido é o mais apetecido :P